Como o DevOps ajuda a lidar com falhas de aplicativos e recuperação de desastres?

Como o DevOps ajuda a lidar com falhas de aplicativos e recuperação de desastres?

Você quer otimizar o trabalho do setor de TI da sua empresa e escolheu o DevOps para isso, certo? No entanto, as coisas não saíram como planejado e os resultados são mais fracos do que o esperado.

Saiba que essa é a verdadeira realidade do DevOps na prática, o que pode ser devido a algumas falhas comuns na implementação dessa metodologia de trabalho. Quer saber os principais erros de DevOps e como evitá-los?

Continue a leitura e saiba como o DevOps ajuda a lidar com falhas de aplicativos e recuperação de desastres.

Quais são as principais métricas de DevOps?

Antes de entender as principais desvantagens do DevOps e como resolvê-las, é importante poder avaliar se esse método é utilizado corretamente e quais foram os resultados desse processo.

É aqui que as métricas de DevOps são essenciais para medir o desempenho de TI da sua empresa. Descubra agora quais são as métricas de DevOps mais importantes que você pode usar no seu negócio!

Frequência e velocidade de implementação

Um dos principais objetivos da implementação do DevOps é otimizar as operações de TI da empresa. Em outras palavras, esse método sugere que as equipes trabalhem mais rápido e criem produtos de maior qualidade.

Portanto, uma métrica que demonstra o alcance dessa meta é a frequência e a velocidade de implantação, que mede a velocidade da equipe na entrega de uma nova versão do produto ao cliente. Além disso, é possível medir com que frequência a equipe consegue desenvolver uma nova versão do software.

Software Verification (QA) 

Garantir a qualidade do produto produzido pela equipe de TI é essencial para a região. Assim, quando se fala em DevOps, outro indicador importante é a velocidade de verificação do software – Quality Assurance (QA).

Quando o DevOps realmente entrar em vigor, você verá uma redução na latência de verificação de erros. Além disso, podem até deixar de existir, o que muda os paradigmas da garantia da qualidade dos produtos manufaturados.

Tempo Médio de Retorno do Serviço (TMPRS)

Os produtos criados por sua equipe de TI são bugs, não importa quão bons sejam. Nesse sentido, TMPRS – o tempo que leva para uma equipe identificar e corrigir um defeito e restaurar um recurso de software – é uma métrica DevOps importante a ser analisada.

Turnover de equipe

Uma das métricas relacionadas à satisfação e motivação dos funcionários ao implementar o DevOps é o turnover, ou rotatividade. Afinal, quanto mais satisfeito com o trabalho realizado na empresa, menor a probabilidade de um membro da equipe deixar a empresa. Portanto, a rotatividade pode ser medida usando KPIs que mostram com que frequência os membros da equipe de TI saem.

NPS

A implementação do DevOps também afeta diretamente os clientes da empresa, pois se implementado corretamente, o produto fica pronto para o cliente mais rápido e com menor percentual de erros. Portanto, outra métrica que pode ajudar a medir os resultados do DevOps é o NPS.

NPS significa Net Promoter Score e consiste em uma pergunta – “0-10, qual a probabilidade de você recomendar esta empresa a um amigo?”. A partir da resposta do cliente, você calcula o valor final do NPS usando uma fórmula específica e compara os resultados ao longo do tempo para saber o quanto os clientes estão satisfeitos com o trabalho da empresa.

e-NPS

Assim como é possível calcular o NPS dos clientes, é recomendável calcular a satisfação dos colaboradores com toda a empresa. Para isso você pode utilizar o e-NPS, que adapta essa primeira métrica ao público interno da empresa.

Para esta medida, a pergunta é ligeiramente diferente: “Numa escala de 0 a 10, quanto recomendaria esta empresa a um amigo como local de trabalho?”. O cálculo é semelhante ao NPS, e com base nas respostas dos funcionários é possível determinar o quanto eles estão satisfeitos com o trabalho desenvolvido na área de TI.

Grau de Autonomia

Outra medida importante relacionada ao trabalho em equipe na implantação do DevOps é a parcimônia dos colaboradores. Afinal, esse é um dos objetivos dessa metodologia: criar mais autonomia para a equipe de desenvolvimento e operações. Portanto, use questionários e outras ferramentas para medi-lo. Com base nisso, você pode determinar se a implementação do DevOps teve o efeito desejado.

Erros

Uma das recomendações para a implementação do DevOps na área de TI corporativa é melhorar a qualidade dos produtos criados. Isso requer a redução do índice de erros, tornando o processo mais eficiente e flexível na entrega de resultados aos clientes de forma consistente. Portanto, avalie a taxa de erro regularmente e veja se esse valor diminui com o tempo.

Ciclo de vida do desenvolvimento

Outra métrica importante para avaliar a implementação de DevOps de uma empresa é o ciclo de vida do software. Isso significa que você precisa estimar o tempo que leva para desenvolver um produto, desde o conceito da ideia até o cliente final. Isso porque o DevOps é um método ágil, o que significa que é recomendável reduzir esse indicador. Se este não for o caso da sua empresa, pode haver lacunas que precisam ser abordadas.

Por que as iniciativas de DevOps falham?

Você seguiu todos os passos para implementar o DevOps em sua empresa, mas ao medir os resultados, descobriu que eles não atenderam às suas expectativas. Para resolver esse problema, é importante entender por que as iniciativas de DevOps falham. Alguns dos principais motivos para isso:

  • Não discutir sobre resultados de negócios
  • Não envolver a equipe no processo
  • Limitar a colaboração
  • Implementar DevOps da maneira “Big Bang”
  • Não gerenciar expectativas

DevOps é a nova tendência em TI – junto com inteligência artificial e aprendizado profundo. As empresas que adotam essa estratégia obtêm resultados cada vez melhores e se diferenciam de seus concorrentes pela flexibilidade e qualidade de seus produtos. Então, se você implementar o DevOps corretamente, sem erros e equívocos, poderá colocar sua empresa na frente do mercado e criar um diferencial competitivo que a destaque.