Como usar o GraphQL e construir uma API de alto desempenho?             

Como usar o GraphQL e construir uma API de alto desempenho?             

GraphQL é uma linguagem de consulta de API que permite aos clientes definir a estrutura de dados necessária para suas consultas, em vez de receber todos os dados disponíveis como em uma API REST tradicional. Isso pode ajudar a melhorar o desempenho da sua API, pois evita a sobrecarga de dados desnecessários e reduz o número de solicitações necessárias para obter as informações desejadas.

Viemos com esse artigo para elucidar sobre como usar o GraphQL e construir uma API de alto desempenho, continue conosco!

O que é GraphQL e para que serve?

GraphQL é uma linguagem e ambiente de execução que se concentra em servidores de interfaces de programação de aplicativos (APIs), permitindo fornecer aos clientes somente os dados que eles solicitam, sem excessos. O principal objetivo do GraphQL é garantir que as consultas sempre retornem resultados previsíveis. O uso do GraphQL pode trazer estabilidade e rapidez para as aplicações, já que os dados são controlados pelas aplicações, não pelo servidor.

Com o GraphQL, é possível obter uma descrição completa e fácil de entender dos dados disponíveis na API, o que facilita a evolução das APIs com o tempo. Além disso, ele oferece poderosas ferramentas de desenvolvimento para auxiliar na criação de soluções cada vez mais eficientes e inovadoras. Em resumo, o GraphQL é uma poderosa ferramenta para desenvolvedores que desejam ter um maior controle sobre as suas APIs e garantir que os clientes recebam apenas os dados que necessitam.

Veja por que usar o GraphQL abaixo!

Por que usar GraphQL?

O GraphQL apresenta muitas vantagens para tornar as APIs mais rápidas, flexíveis e intuitivas para os desenvolvedores. Além disso, é possível implantá-lo em um ambiente de desenvolvimento integrado (IDE) conhecido como GraphiQL.

Ao contrário da arquitetura REST, o GraphQL permite que os desenvolvedores façam consultas que extraem dados de várias fontes em uma única chamada de API, proporcionando maior eficiência. Além disso, o GraphQL oferece flexibilidade aos profissionais responsáveis pela manutenção das APIs, permitindo adicionar ou retirar campos sem afetar as consultas existentes.

Com a especificação do GraphQL, os desenvolvedores têm a liberdade de criar APIs com o método que desejarem, assegurando que essas APIs funcionem de maneira previsível para os clientes. Em resumo, o GraphQL é uma excelente opção para aqueles que desejam criar APIs poderosas e eficientes, proporcionando maior controle e flexibilidade para os desenvolvedores.

Veja algumas dicas abaixo!

Dicas para usar GraphQL

Aqui estão algumas dicas para usar o GraphQL para construir uma API de alto desempenho:

  1. Projetar o esquema GraphQL cuidadosamente: Um bom esquema GraphQL é a chave para uma API bem-sucedida. É importante projetar um esquema que cubra todas as informações necessárias, mas evite a sobrecarga de informações desnecessárias.
  2. Use resolução de lote: O GraphQL permite a resolução de lote, que pode reduzir drasticamente o número de consultas necessárias para obter as informações necessárias. Em vez de fazer várias consultas individuais para obter informações relacionadas, você pode combinar essas consultas em uma única solicitação.
  3. Otimize consultas: É importante otimizar consultas para garantir que elas sejam eficientes e rápidas. Isso pode incluir limitar a profundidade da consulta para evitar consultas excessivamente complexas e reduzir a quantidade de dados retornados.
  4. Cache de resultados: A cache de resultados pode ser usada para armazenar os resultados das consultas mais frequentes, o que pode melhorar o desempenho da API, reduzindo a necessidade de executar consultas repetidas.
  5. Monitorar o desempenho: É importante monitorar o desempenho da sua API GraphQL para garantir que ela esteja funcionando de maneira eficiente e identificar problemas em potencial antes que eles se tornem críticos.

Como usar GraphQL?

Os desenvolvedores de API utilizam o GraphQL para criar um esquema que descreve todos os dados disponíveis para consulta pelos clientes através do serviço em questão. Esse esquema é composto por tipos de objeto que definem quais objetos podem ser solicitados e quais campos eles terão.

Ao receber as consultas, o GraphQL valida as mesmas de acordo com o esquema e executa as consultas validadas. Para cada campo em um esquema, o desenvolvedor da API anexa uma função denominada resolvedor, que é chamada durante a execução da consulta para produzir o valor correspondente.

O GraphQL é flexível e permite que os desenvolvedores tomem a maioria das decisões relacionadas ao armazenamento de dados, escolha da linguagem de programação, requisitos de rede, autorização e paginação. Ele não define nenhum desses aspectos, mas apenas define e valida a sintaxe das consultas de API.

GraphQL: vantagens e desvantagens

Você está considerando a possibilidade de utilizar o GraphQL em um ambiente corporativo? A adoção do GraphQL tem suas vantagens e desvantagens.

Vantagens:

Esquemas definem uma única “fonte da verdade” em uma aplicação que utiliza o GraphQL, o que permite à organização federar toda a API.

  • As chamadas do GraphQL são processadas em uma única transmissão de ida e volta, permitindo aos clientes receberem exatamente o que solicitaram, sem dados desnecessários (overfetching).
  • Os tipos de dados são bem definidos, o que reduz as falhas de comunicação entre o cliente e o servidor.
  • O GraphQL é introspectivo, o que permite que o cliente solicite uma lista de tipos de dados disponíveis, o que é ideal para gerar documentação automaticamente.
  • O GraphQL permite evoluir a API de uma aplicação sem afetar as consultas existentes.
  • Existem muitas extensões open source disponíveis para o GraphQL e várias oferecem funcionalidades que não estão presentes nas APIs REST.
  • O GraphQL não determina uma arquitetura de aplicação específica e pode ser introduzido em uma API REST existente, funcionando com as ferramentas de gerenciamento de API que você já possui.

Desvantagens:

  • A curva de aprendizado pode ser íngreme para desenvolvedores que estão acostumados com as APIs REST.
  • Como o GraphQL permite que o cliente especifique os dados necessários para a consulta, é possível que os desenvolvedores deixem de fornecer dados que são importantes para a organização.

O GraphQL pode ser menos eficiente do que as APIs REST em casos de consultas simples ou que envolvam muitos dados.